Concórdia – O aparecimento de uma arma de fogo, localizada no forro de uma residência, poderá dar novos desdobramentos no caso envolvendo a morte de Andréia de Oliveira, crime ocorrido há um ano. O revólver tem calibre 38 e, segundo o que foi apurado, seria o mesmo calibre utilizado para matar a jovem. Até então a arma do crime não havia sido localizada.

Nas últimas horas, o Ministério Público juntou ao processo uma cópia do inquérito policial indicando o aparecimento desta arma. Ainda não está confirmado que se trata do revólver utilizado para matar a vítima, mas pelas características tudo indica que pode ser. O julgamento popular para Cristiane de Oliveira, apontada como autora do homicídio, foi marcado para o dia 30 de abril.

Andreia de Oliveira desapareceu no dia 18 de abril do ano passado. O corpo foi encontrado dois dias depois às margens da BR-153. Na época, o companheiro de Cristiane chegou a ser preso, mas, no decorrer do processo, o Ministério Público pediu o arquivamento do nome dele. A advogada Camila Raquel Hilgert atua como assistente de acusação junto com a promotora Mariana Mocelin.