Tangará – Em sessão realizada na noite desta terça-feira (14), por 7 votos a 2 a Câmara de Vereadores cassou o prefeito de Tangará, Euclides Cruz (PSD). Cruz foi preso pela Operação Patrola deflagrada pelo GAECO – Grupo de Atuação Especial de Combate às Organizações Criminosas. A sessão teve o plenário lotado. Desde o dia 1º de março a prefeitura vem sendo administrada pelo vice, Nadir Baú da Silva (PP).

Anteriormente, o Tribunal de Justiça de Santa Catarina havia determinado o afastamento do cargo a Euclides Cruz. Na manhã de 27 de fevereiro o GAECO deu cumprimento ao mandado judicial de prisão preventiva do prefeito de Tangará, expedido pelo Tribunal de Justiça de Santa Catarina. A ação foi uma continuidade da operação “Patrola“, deflagrada em 22 de fevereiro.

Além da prisão preventiva de Cruz, o GAECO também deu cumprimento ao mandado de prisão preventiva de mais um agente público e realizou busca e apreensão no Centro Administrativo. Os demais envolvidos que já estavam presos temporariamente tiveram suas prisões convertidas em prisão preventiva. Desde o início da operação Patrola oito pessoas foram presas, entre agentes públicos e empresários, que foram conduzidos à Unidade Prisional Avançada – UPA de Videira/SC.

A Promotoria de Justiça da Comarca de Tangará e o GAECO investigam supostos crimes de fraude em licitações e crimes contra a administração pública, especialmente atos de corrupção ativa e passiva, além de peculato, com a participação direta de servidores públicos da prefeitura de Tangará em conluio com empresários das regiões Oeste e Meio-Oeste catarinense.

A Operação recebe o nome de “Patrola” por apontar irregularidades nas atividades que envolvem o uso de maquinários pesados de propriedade do poder público.

13444307_841591749317487_294985422_n

13451153_841591789317483_361406660_n

13451261_841591712650824_496285188_n

13459746_841591722650823_1852729680_n

pref_tangara