Concórdia – O vice-prefeito Edilson Massocco esteve nas últimas horas em Florianópolis discutindo em uma audiência na Assembleia Legislativa o futuro da Celesc em Concórdia. A proposta é buscar alternativas para manter a Agência Regional em funcionamento.

A nova direção da estatal está propondo transformar a Regional em uma simples agência, ou seja, a unidade da Celesc de Concórdia ficaria subordinada a estatal em Chapecó. Massocco afirma que é preciso a Celesc revelar o valor que se iria economizar com tal medida e se vale a pena mesmo inviabilizar uma das agências mais importantes do Estado. Ele reconhece que é necessário fazer gestão e economizar, porém é preciso manter os serviços que estão funcionando de forma adequada.

A Celesc de Concórdia é considerada uma das mais eficientes de Santa Catarina. Por isso, a defesa em manter a unidade local com autonomia de decisão, ao invés de depender de Chapecó ou Florianópolis.

O vice-prefeito afirma que se a medida for adotada pela direção da Celesc em Florianópolis, Concórdia vai ficar com mais um “puxadinho”, se referindo a outros órgãos que também correm o risco de encerrar as atividades no Município.

Massocco afirma que a direção da Estatal precisa rever a medida, pois a reforma administrativa do Governo do Estado corre risco de não ser aprovada junto a Assembleia Legislativa. “Temos uma estrutura consolidada. Não é preciso criar uma nova estrutura com novos gastos. O fechamento da regional da Celesc em Concórdia irá geral uma pequena economia, afirma.

Massocco também considerou um desrespeito o presidente da Estatal não comparecer na audiência com os deputados e lideranças políticas para discutir o assunto.