A flacidez pode acontecer em várias fases da vida, inclusive no pós-parto. Além disso, ela também é considerada como um fator de envelhecimento da pele, acontecendo tanto no rosto, como no corpo. Mas, a boa notícia é que com os cuidados e tratamentos certos é possível evitar e driblar o problema, que ocorre por causa da genética e estilo de vida, segundo a Sociedade Brasileira de Dermatologia.
No caso da flacidez que acontece ainda na gestação, ocorre geralmente por causa de um quadro de adaptações hormonais, acentuando a perda de força nos músculos, principalmente na barriga, para que haja o crescimento do útero.

“A pele, por sua vez, também precisa se adaptar passando por um alongamento que muitas vezes degrada essas fibras provocando a flacidez. Com isso, podemos dizer que mulheres que engravidam mais tarde têm maior chance de sofrer com a flacidez do que mulheres que engravidam mais novas”, explica Roberta Nascimento, que é educadora física especializada em diástase.

O que é flacidez?
Segunda a especialista, a flacidez pode ser tanto muscular como de pele, por isso, durante o tratamento é importante estar de olho nas diferenças entre os casos.

“Muitas mulheres pensam apenas nas questões de pele por observarem o aspecto frouxo do tecido pela perda de elasticidade e sustentação dela. Isso ocorre pela perda de força nos músculos que sustentam essa pele”.

Além disso, Roberta reforça que, no entanto, a flacidez muscular é que deixa a pele com o aspecto “caído”.

Quais são os sinais de que a flacidez vai aparecer?
Os sinais de que a pele vai começar a ficar flácida são visíveis e podem ser observados. Mas, os principais, de acordo com a educadora física, são: a barriga caída por cima da calcinha e/ou quando a pele passa a ficar enrugada em sua aparência.

Close up woman stretching the skin under her arm and wearing only a bra against a white background

Flacidez x gestação: por que acontece?
Apesar de ser um grande incômodo para a maioria das mulheres, Roberta reforça que é essencial que a flacidez aconteça na gravidez. Calma, a gente explica! Isso ocorre por ser um processo natural do corpo, onde é necessário dar espaço para o útero crescer.

“Não tem como impedir, apenas como amenizar o impacto dela no pós-parto, optando por uma prática de exercícios específicos para manutenção do tônus”.

Principais motivos da flacidez e como evitar
• Falta de força na musculatura do abdômen:

“após a gravidez, a barriga pode não voltar como antes e desenvolver uma diástase, o que também pode acontecer ao engordar e emagrecer muito rápido. Os músculos mais profundos, que realmente trazem força e estabilidade para o corpo, acabam se tornando, na maioria das vezes, fracos, em virtude do afastamento muscular ou de sobrecarga nos exercícios físicos. A ativação correta do abdômen pode reverter o quadro, sem necessidade de cirurgia”

• Falta de hidratação da pele:

“o processo de emagrecimento rápido leva a um aumento da produção de radicais livres, que danificam o colágeno, contribuindo para o aumento da flacidez. No caso do pós-parto, a hidratação contribui para que as fibras de colágeno e elastina suportem a distensão da pele. Uma pele hidratada é menos suscetível a alterações provenientes do estiramento e da flacidez”.

• Alimentação rica em açúcar e industrializados:

“dietas restritivas e ingerir poucas fontes de proteína são outros fatores que contribuem para a perda de colágeno. No entanto, um dos principais vilões é o consumo exagerado de açúcar e industrializados. Quando consumido em excesso, o açúcar pode promover no organismo um processo chamado glicação, no qual carboidratos, como a glicose, se ligam permanentemente e danificam as proteínas como o colágeno”.

• Perda natural de colágeno e elastina pelo envelhecimento:

“a partir dos 25 anos, o corpo diminui a produção de colágeno e elastina, contribuindo para o aparecimento da flacidez e das rugas e linhas finas. Nessa idade, inicia-se a atividade de uma enzima que degrada as fibras de colágeno. O colágeno representa 70% de toda a proteína da pele e é uma substância que as células produzem naturalmente, sendo responsável por manter a estrutura, a firmeza e a elasticidade. Há diversas formas de estimular a produção de colágeno e repor a substância na pele, como ter uma alimentação nutritiva, rica em vitamina C, carnes, gelatinas, ovos e castanhas, e o uso de dermocosméticos. Consulte sua dermatologista e nutricionista”.

• Fatores externos como consumo de álcool, cigarro e tomar muito sol:

“a perda de colágeno da pele pode ser afetada e acelerada por diversos fatores extrínsecos, como o consumo de álcool, por exemplo. Grande parte das bebidas alcoólicas estão carregadas de açúcar, considerado um dos maiores inimigos da pele. Aliado à desidratação que ocorre, acaba por causar estragos. A exposição ao sol sem proteção é outro fator. Os raios solares destroem as fibras colágenas por meio de um processo chamado elastose solar, deixando a pele mais fina e com vasos e poros dilatados. O tabagismo também merece destaque. Quem tem o costume de fumar possui menos fibras colágenas na pele e ainda está mais suscetível ao envelhecimento precoce”.

Como deixar a pele mais firme
Devido a idade ou gravidez é normal que haja uma perda da força muscular, ou seja, uma diminuição da sustentação da barriga, bumbum, ou qualquer outra parte do corpo. Por isso, a melhor maneira de firmar as regiões é a partir de uma rotina de exercícios físicos, focada na tonificação desses músculos.

“Na gravidez, é um processo transitório, então se investir nos exercícios ainda nessa fase a recuperação de força e tônus após o nascimento do bebê será muito mais fácil e rápida”.

Mas, é superimportante reforçar que o trabalho para identificar e tratar a flacidez deve ser multidisciplinar.

“É importante acompanhar a mulher grávida ou que já tenha tido seu bebê, contando com um profissional de educação física especializado, um médico dermatologista e um nutricionista”.

Procedimentos estéticos acabam com a flacidez?
Depende! No caso da flacidez da pele, Roberta explica que é possível utilizar os procedimentos estéticos para resolver o problema. No entanto, se a flacidez é muscular, a dica é garantir os exercícios de força para o tônus. Além disso, vale reforçar que a alimentação também tem um papel fundamental nesse processo!

“Beber água é o melhor hábito que podemos ter para a saúde da nossa pele”, explica. “Aveia é uma excelente fonte de silício para aumentar a produção de colágeno. A vitamina A, encontrada na abóbora e na cenoura, também ajuda nessa produção natural. Já o abacate é uma excelente fonte de gordura, que hidrata e traz elasticidade para a nossa pele. Na gestação esse é um superalimento para o desenvolvimento do bebê e cuidados com a pele da mãe”, conclui.

Fonte: Pais e Filhos