Libertadores Feminina está ameaçada por covid-19 na América Latina neste ano de 2020.  Sem todos os 16 participantes definidos, a competição feminina não teria tempo hábil para começar em setembro e terminar em outubro, em Santiago, no Chile. Um novo prazo seria possível, mas a continuidade dos times passa ser o entrave em um cenário de recessão no continente. O Corinthians(campeão em 2019), já tem vaga garantida, assim como a Ferroviária (campeã do Brasileiro) e o Kindermann (terceiro colocado).