Joaçaba – Familiares dos detentos do Presídio Regional de Joaçaba estão denunciado uma série de restrições que foram impostas pela nova administração da unidade.

De acordo com eles, as medidas submetem os detentos a privações, pois eles chegam a ficar até cinco dias sem tomar banho, foram obrigados a ficar apenas com uma cueca, proibidos de receberem cartas da família, os colchões foram retirados e também há relato de casos de tortura. Os presos também reclamam da alimentação, pois a última do dia é servida às 17h.

“Queremos resposta e justiça, pois eles estão lá pra pagar pelo que fizeram. Não precisam ser tratados como animais”, disse a mãe de um dos detentos.

No feriado do dia 12 de outubro a Polícia Militar teve que ser acionada para ajudar a controlar o início de um motim, mas o caso não chegou a ser divulgado. Encaminhamos e-mail para o gerente Ademir Paris, que não respondeu.

A Defensoria Pública de Joaçaba informou que instaurou um procedimento interno e tem realizado inspeções presenciais no Presídio para apurar os fatos e tomar medidas judiciais.

Nota da Defensoria Pública

Em cumprimento a solicitação do Defensor Público de Joaçaba, Dr. Alessandro Cantelli, informamos que a Defensoria Pública de Joaçaba tem conhecimento acerca dos fatos, inclusive vem realizando inspeções presenciais no Presídio Regional de Joaçaba desde o dia 11/10/2021 a fim de averiguar pessoalmente o ocorrido. (Por Caco da Rosa)