A primeira hora de vida do bebê, também conhecida por golden hour, ou hora dourada, é muito importante pelo contato entre mãe e filho logo após o nascimento. Esta transição, do ambiente intrauterino para a vida extrauterina, pode não ser uma tarefa tão simples, mas com alguns cuidados (e muito carinho!) se torna um momento muito especial para a família.
Segundo Cinthia Calsinski, enfermeira obstetra e consultora de aleitamento, a golden hour pode trazer diversos benefícios para a mãe o bebê, além de ser um grande impacto no fortalecimento de vínculos.

Por que o vínculo é tão importante?
Nestes 60 primeiros minutos após o nascimento, é importante que o bebê fique aconchegado, e não existe lugar melhor do que o colo da mãe. O recém-nascido, quando colocado de bruços e sem roupa no ventre ou abdome materno, passa a regular a temperatura corporal, além de ficar aquecido. Na primeira hora de vida, tão preciosa pelo contato pele a pele, também é fortalecido o sistema imune e o auxílio na criação do vínculo a partir do cheiro, contato e toque.

“Por isso, é chamada de hora de ouro, pois o que acontece tem impacto no estabelecimento do vínculo entre ambos, potencial para diminuir riscos para a saúde do bebê e ainda auxiliar no estabelecimento da amamentação”, explica Cinthia.

Como ele é construído?
Durante a primeira mamada do bebê neste período, mãe e filho aproveitam cada segundo da troca de experiências.

“O vínculo se constrói dia após dia, mas neste momento especial ambos estão com seus instintos e percepções mais aguçados, sem contar o coquetel hormonal que acontece no pós-parto imediato”, defende a especialista.

A golden hour pode trazer benefícios para mãe e filho?
Sim! Ela pode auxiliar diminuindo riscos de hipotermia, estabilizando frequência cardíaca, respiratória e glicemia, e ainda diminuindo riscos de infecção. Já para a mãe, a golden hour permite a oportunidade de estabelecer vínculo precoce, menor risco de sangramento por liberação de ocitocina durante sucção do mamilo, menor risco de depressão pós-parto, menor chance de abandono materno, entre outros.

Menos riscos à saúde do bebê!
Além do momento ser extremamente prazeroso enquanto está com a mãe, Cinthia explica que o bebê não produz cortisol, o hormônio do estresse, e assim que são separados pela primeira vez, eles choram bem mais.
Sobre a primeira mamada, ao ingerir o colostro, o bebê cria um ambiente propício para desenvolvimento de bactérias boas no intestino, que possuem um papel importante em sua imunidade. E os benefícios não param por aí! Existe também a estabilização de parâmetros vitais como temperatura, frequência cardíaca, frequências respiratória e também a glicemia.

Meu filho não mamou durante a golden hour. Devo me preocupar?
É possível que a amamentação não aconteça durante os primeiros 60 minutos de vida do bebê. Mas é importante não sentir culpa caso você não consiga fazer a golden hour após o nascimento do seu filho. A enfermeira obstetra orienta que existem muitas coisas importantes acontecendo ao mesmo tempo nesta hora de ouro, que devem ser tão valorizadas quanto. Então, nada de pânico!

Bebês prematuros podem ter a hora de ouro?
Depende. As condições clínicas de cada bebê devem ser analisadas individualmente. Mas a boa notícia é que no geral, a hora de ouro também traz benefícios, mesmo para os prematuros.

 

Fonte: Pais e Filhos