Concórdia – Um mês após o acidente na BR-282 que matou quatro pessoas em Pinhalzinho, no Oeste catarinense, os corpos de duas haitianas continuam no Instituto Médico Legal (IML) de Chapecó, na mesma região. O Instituto Geral de Perícias (IGP) afirmou que até esta sexta-feira (10) nenhum parente ou representante legal havia ido ao instituto com a documentação necessária para fazer a retirada.

Mãe e filha são de nacionalidade haitiana e moradoras de Concórdia.

O acidente ocorreu na manhã de 9 de dezembro. O Golf com placas de Itá, também Oeste catarinense, saiu da pista após uma curva e caiu em uma ribanceira de pelo menos 37 metros de altura. O carro só parou quando colidiu em uma árvore. Somente uma pessoa sobreviveu.

Os corpos das vítimas que ainda estão no IML são de mãe e filha. A família, que está no Haiti, não tem condições financeiras para vir a Chapecó, mas já escolheu o representante legal.

“Pedi uma autorização da família escrita, assinada e agora, com essa autorização, a gente aqui pode ir lá liberar os corpos para fazer o enterro. A gente está agilizando para, até domingo [19] que vem, a gente já fazer o enterro”, disse o representante da família, Nahum Saint Julien. (G1/SC)