Região – O Hospital Padre João Berthier, do município de São Carlos, no Oeste de Santa Catarina, teve a interdição ética parcial solicitada pelo CRM-SC (Conselho Regional de Medicina de Santa Catarina) nesta quarta-feira (23).

Conforme nota do CRM-SC, o motivo da interdição é a ausência de médico plantonista nos serviços de urgência e emergência 24h e a falta de obstetra, pediatra e anestesiologista 24h para atendimento na maternidade.

“A interdição ética, respaldada pela Resolução CFM 2.062/2013 proíbe os profissionais médicos de atender novos pacientes na instituição, até que as irregularidades sejam sanadas pela administração do hospital”, informou o Conselho em nota.

O CRM-SC ressaltou que o setor de fiscalização acompanha a situação do hospital desde 2019. Por diversas vezes foi concedido prazo para que a instituição regularizasse as desconformidades, mas nenhuma providência foi adotada. A interdição é por tempo indeterminado ou até que as desconformidades sejam regularizadas pelo hospital.

O Conselho ainda ressaltou preocupação com a segurança dos pacientes, bem como com a realização do ato médico que está sendo prestado no hospital. “A proteção à boa prática da medicina e o direito à assistência médica adequada são essenciais para a preservação da saúde”, acrescentou em nota. (Por ND+)