Saiu na tarde desta quinta-feira(9) a sentença da ação trabalhista impetrada pela família do ex-presidente da Federação Catarinense de Futebol (FCF) Delfim Peixoto Filho, que reivindicava uma indenização de R$ 20,8 milhões da entidade por julgar que o ex-dirigente era funcionário da FCF. Cheia de argumentos jurídicos e sem contestação, a sentença do juiz trabalhista substituto, Fabio Tosetto, determinou o encerramento do processo após analisadas todas as provas apresentadas. Segundo o colunista Roberto Alves, do NSC, o juiz Fabio Tosetto considerou improcedente a pretensão da família do ex-presidente por não ter encontrado amparo legal na ação impetrada,  pois tendo sido eleito legalmente como presidente da Federação, Delfin não poderia ser enquadrado como funcionários da entidade. Todas as custas ficaram por conta dos impetrantes da ação.