SC – A Epagri descartou nesta sexta-feira, 26, a passagem de um tornado pelo Oeste de Santa Catarina.

De acordo com o órgão, os estragos registrados na quinta-feira, 25, em Xanxerê e Xaxim foram causados por outro fenômeno, conhecido como microexplosão, que tem relação com o ciclone extratropical que atingiu a região.

Árvores foram derrubadas e milhares de pessoas ficaram sem energia elétrica após as chuvas. 

De acordo com o meteorologista Marcelo Martins, apesar da força de destruição ser parecida com a de um tornado, algumas características diferenciam um fenômeno do outro. “Pelas análises, seria uma microexplosão. As características mostram que não houve retorsão, os ventos ficaram em torno de 90 km/h, na mesma direção, assim como estragos que também caíram só de um lado. Isso mostra que não havia nenhuma assinatura de tornado”, pontua.

Segundo o meteorologista da NSC e da Belos FM, Leandro Puchalski, a situação ocorre quando um ar muito forte desce violentamente da nuvem em direção ao solo. Quando chega, vai pelas laterais, provocando estragos.

A Defesa Civil estadual também descartou a possibilidade do tornado. De acordo com o órgão, a responsável pela formação dos temporais no Oeste foi a passagem de um ciclone extratropical. 

Isso fez com que cidades registrassem ventos de mais de 60 km/h, o que causou alagamentos, deslizamentos e a interrupção de energia em cerca de 117 mil unidades consumidoras.

Confira as cidades com a maior velocidade dos ventos nesta quinta-feira:

  • Bom Jardim da Serra: 95,8 km/h
  • Xanxerê: 87,1 km/h
  • Chapecó: 86,1 km/h
  • Urupema: 79,4 km/h 
  • Joaçaba: 77,4 km/h 
  • Ponte Serrada: 76,6 km/h 
  • São Miguel do Oeste: 70,9 km/h 
  • Campo Belo do Sul: 69,3 km/h 
  • Campos Novos: 66,6 km/h 
  • Imbituba: 66 km/h 
  • Caibi: 64,7 km/h 
  • Concórdia: 60,8 km/h 
  • Tangará: 60 km/h 
  • Caçador: 54 km/h 

Diário Catarinense