Um modelo de fair play financeiro inspirado no europeu, que na última sexta-feira baniu o Manchester City por dois anos de qualquer competição europeia será implementado ainda este ano na elite do futebol brasileiro. A declaração foi dada pelo secretário-geral da CBF, Walter Feldman, nesta terça-feira, em Brasília.

Segundo o secretário, o modelo brasileiro de fair play financeiro, a princípio, não prevê o banimento dos clubes que descumprirem as normas, como foi o caso do Manchester City – lembrando que o clube inglês prometeu recorrer da decisão da UEFA na Corte Arbitral do Esporte (TAS).

De acordo com o Diretor de Registro e Transferência da CBF, o ex-jogador Reynaldo Buzzoni, que também esteve em Brasília, um congresso técnico com representantes dos clubes está marcado para a próxima semana, onde será apresentado o modelo de fair play financeiro para o Brasil.