O surgimento de reações após tomar a vacina da COVID-19 é completamente normal e acontece devido à resposta natural do sistema imune, que produz anticorpos para combater a substância que foi injetada. É esta resposta que permite criar imunidade, já que os anticorpos produzidos são os mesmos que, no caso de uma infecção real por COVID-19, irão combater o vírus.
As reações à vacina surgem, geralmente, nas primeiras 24 horas e as mais comuns são:

• Dor, inchaço e/ou vermelhidão no local da injeção;
• Dor de cabeça;
• Febre e arrepios;
• Sensação de cansaço;
• Dor muscular e/ou articular.

Estas reações podem se manter por 2 a 3 dias. No caso das vacinas que necessitam de mais que uma dose, as reações gerais como febre, dor de cabeça e dor muscular, são mais frequentes após a segunda dose, já as reações de dor e inchaço no braço podem acontecer em todas as doses.
A vacinação é a melhor forma de proteger contra uma infecção grave por COVID-19 e, por isso, deve ser realizada apesar de causar algumas reações adversas. A não-vacinação não provoca qualquer tipo de reação, mas também não protege contra o coronavírus, nem diminui as chances de uma infecção grave que pode colocar a vida em risco.

Como aliviar as reações da vacina
Embora as reações da vacina da COVID-19 possam ser um pouco incômodas e afetar o dia a dia da pessoa vacinada, existem algumas formas de as aliviar:

Dor, inchaço e vermelhidão no local da injeção
Para aliviar estes sintomas basta aplicar um pouco de gelo (coberto por um pano limpo) no local por 10 a 15 minutos, várias vezes ao dia. Isso vai fazer com que a inflamação no local diminua, aliviando o incômodo.
É também importante evitar fazer esforços com o braço vacinado, como levantar peso, especialmente no primeiros 2 dias.

Dor de cabeça e febre
Para aliviar a dor de cabeça e a febre é importante ficar de repouso. No entanto, algumas técnicas naturais podem ajudar como colocar um pano umedecido com água fria na testa, evitar vestir roupa muito quente e tomar um chá de gengibre ou valeriana, por exemplo. 
Além disso, e com orientação de um profissional de saúde, também se pode tomar paracetamol a cada 8 horas. Esse é um remédio antitérmico que permite diminuir a temperatura corporal, combatendo a febre.
No caso de a febre durar mais de 2 dias ou se não melhorar com o uso de medicamentos, é importante ir ao hospital para identificar a possível causa, iniciando o tratamento adequado.

Cansaço e dor muscular ou articular
A melhor forma de recuperar do cansaço e aliviar a dor muscular e/ou articular consiste em repousar o máximo possível, evitando esforços como pegar peso, limpar a casa ou malhar, por exemplo.
É também importante garantir uma correta hidratação e nutrição do corpo, bebendo bastantes líquidos e fazendo uma dieta equilibrada. Os líquidos podem ser água, chás, água de coco ou sucos naturais. 

Possíveis reações graves
As reações graves à vacina da COVID-19 são muito raras, mas acontecem principalmente em pessoas que têm histórico de uma reação grave após tomar qualquer outro tipo de vacina.
Estas reações podem surgir logo após a vacinação ou até 4 semanas:

• Reação alérgica grave, normalmente nos primeiros 30 minutos após a vacinação;
• Formação de coágulos, que podem provocar trombose;
• Inflamação do coração.

Embora sejam muito raras, estas reações devem ser identificadas o mais rápido possível, para que possam ser tratadas corretamente, evitando o surgimento de sequelas.
No caso de sintomas como sensação de falta de ar, inchaço do rosto, dor de cabeça muito intensa, dor no peito ou inchaço nas pernas, é importante procurar ajuda médica.

O que causa as reações da vacina?
As reações que surgem após a vacinação são resultado da resposta normal do sistema imune à substância que foi injetada. Essa substância varia de acordo com o tipo de vacina, mas é sempre um material inofensivo, capaz de imitar o coronavírus, estimulando a resposta imune. Quando isso acontece, o corpo produz anticorpos que ficarão “em espera” caso o verdadeiro coronavírus entre no corpo. 
É comum que as reações sejam mais intensas depois da segunda dose da vacina pois o corpo já possui anticorpos de reserva que foram produzidos após a primeira dose. Esses anticorpos atuam mais rapidamente e com mais força contra a substância injetada.

O que significa se não surgirem reações à vacina?
Não apresentar reações ou ter efeitos colaterais muito leves não significa que não se tem imunidade contra o vírus. Isso porque, a intensidade das reações está relacionada com a forma como cada sistema imune responde à vacina e não à força da imunidade conferida.
A única forma de saber se se tem ou não imunidade contra a COVID-19 é realizando um teste de sangue para anticorpos IgG e IgM. 

Quando ir ao hospital
É importante ir ao hospital sempre que existir suspeita de alguma reação grave à vacina. Além disso, deve-se procurar ajuda médica sempre que:

• A febre não diminui ou se mantém por mais de 3 dias;
• O inchaço e a dor no braço não melhoram após 3 dias;
• Surgem outros sintomas sugestivos de COVID-19, como tosse intensa, sensação de falta de ar ou perda de olfato.

A vacina não é capaz de provocar COVID-19, no entanto, algumas pessoas podem entrar em contato com o vírus poucos dias antes, ou logo após a vacinação. Nesses casos, a imunidade da vacina ainda não está ativa e, por isso, podem acabar desenvolvendo COVID-19. A eficácia da vacina só é garantida 14 dias após a última dose.

 

Fonte: Tua Saúde