E aí papais, o que vocês acham que seu filho precisa para se dar bem nos estudos?
Foco, memória, concentração? Então, esses atributos dependem, e muito, de uma boa alimentação. Mais do que auxiliar no crescimento, comer bem — alimentos variados e na proporção correta — pode impactar diretamente no cérebro e na saúde mental das crianças.

“Os pais devem apostar em alimentos mais saudáveis e leves para estimular o paladar desde a infância, incluindo alimentos integrais e ricos em fibras, como frutas, verduras e legumes. Eles proporcionam uma digestão de forma mais lenta, com mais saciedade e energia por mais tempo. Assim, as crianças terão disposição para horas de estudo, e o cérebro funcionará de forma mais qualificada, com uma boa concentração e raciocínio”, afirma a nutricionista Carina Brandão, da Clínica Healthy (SP).

Além disso, com o fim das férias — e do momento de relaxamento —, a retomada da rotina pode ser difícil.

“Nesse caso, alimentos ricos em vitaminas e nutrientes são ainda mais essenciais para auxiliar nesse processo”, orienta Lilian Gonzales, nutricionista da Sodexo On-site Brasil.

Abaixo, elencamos dicas de alimentos sugeridos pelas nutricionistas para ajudar a melhorar a memória, o aprendizado e o raciocínio do seu pequeno.

Arroz integral
Contém vitaminas do complexo B, fundamentais para as funções do cérebro. As fibras presentes nos carboidratos integrais ajudam a liberar glicose no organismo aos poucos. Sua falta prejudica a memória, concentração e aprendizado.

Castanhas
Ajudam na liberação da serotonina, um neurotransmissor que atua positivamente sobre o humor. Também mantém as artérias cerebrais saudáveis.

Banana
Para ser produtivo, também é preciso dormir bem! A fruta pode ser consumida à noite para ajudar a relaxar, por ser rica em potássio e triptofano, que é precursor da serotonina, que, por sua vez, acalma as atividades cerebrais.

Frutas vermelhas
Possuem flavonoides, que exercem efeitos benéficos no aprendizado e na memória, devido a sua capacidade de proteger os neurônios e reverter déficits de memória.

Ovos
Fonte de colina, que participa da formação de neurônios e repara as células cerebrais avariadas. Produz acetilcolina, neurotransmissor fundamental para a memória e aprendizado.

Sardinha
Contém ômega-3, que auxilia na comunicação entre os neurônios melhorando a concentração, a memória e o aprendizado em geral.

Carne vermelha
Possui vitaminas do complexo B, dando a energia, melhorando a memória e auxiliando na comunicação dos neurônios e no desenvolvimento deles.

Feijão
Forma a hemoglobina, que oxigena o sangue e o cérebro – fortalecendo a parte metabólica e energética.

Cacau
Além de ser rico em ferro, fibras e magnésio, é fonte de flavonoides, que aumentam a circulação sanguínea cerebral. O resultado é uma melhora das funções cognitivas, na memória e até no humor.

Água
Facilita a digestão e absorção dos nutrientes, além dos fluídos corporais. Ajuda o corpo e a mente a funcionarem. Uma pesquisa da University of East London descobriu que quem toma aproximadamente 500 ml antes de realizar alguma tarefa que envolva esforços mentais, tem seu cérebro trabalhando 14% mais rápido comparado a quem não bebe água.

Se na sua casa, está difícil estimular o consumo de alimentos saudáveis, experimente convidar seu filho a participar das compras.

“As crianças usualmente desconfiam dos alimentos que não reconhecem. Então explique o que é e, se possível, mostre em uma horta ou mercado. Deixe que a criança cheire e toque no alimento”, orienta Lilian.

Além disso, lembre-se que as crianças aprendem pelo exemplo. O adulto precisa comer de tudo para que os pequenos se sintam mais estimulados. E, por fim, mesmo que a criança rejeite um alimento uma, duas ou mais vezes, não desista e o apresente em diferentes formas.

 

Fonte: Revista Crescer